Cinema de Fronteira: a farsa do documentário

28 de julho de 2017
Na terça-feira, 1 de agosto, o Cinema na Uesb apresenta mais uma Mostra temática: “Cinema de Fronteira: a farsa do documentário”. A fronteira entre documentário e ficção se torna cada vez mais próxima, com narrativas híbridas e interseções entre as estéticas. Algumas obras, como os falsos documentários ou mockumentaries, utilizam os recursos estilísticos do documentário para construir ficções, aproximando essas categorias. Seguindo essa perspectiva, foram selecionados, para a Mostra, quatro curtas-metragens e quatro longas-metragens.
 
Na primeira sessão, será exibido o curta “Recife Frio” (2009), de Kleber Mendonça, e o filme “F for Fake” (1973), de Orson Welles. O comentário dos filmes fica por conta de Amanda Avila e Danilo Lobo, mestranda e mestre do Programa de Memória: Linguagem e Sociedade da Uesb, respectivamente.
A Mostra é realizada pelo Programa Janela Indiscreta Cine-Vídeo em parceria com o curso de Cinema e Audiovisual da Uesb, sob a curadoria do professor Filipe Brito. As sessões acontecem todas terças-feiras, nos dias 1, 8, 22 e 29 de agosto, às 19 horas, na Sala de Projeção Jorge Melquisedeque, localizada no Módulo da TV Uesb. A entrada é franca e aberta ao público. A programação completa pode ser conferida no cartaz.
 
Sinopses:
Recife Frio: A cidade brasileira de Recife, que já foi tropical, agora é fria, chuvosa e triste, depois de passar por uma desconhecida mudança climática.
F for Fake: Abordando as verdades e mentiras de diversos tipos de arte, nesse documentário livre, Orson Welles aborda Elmyr de Hory, um perito em falsificar pinturas famosas, e Clifford Irving, escritor da fraudulenta biografia de Howard Hughes, considerada uma das maiores falsificações da década de 70.